Analisando a Letra da Música: “ALAGADOS” dos Paralamas do Sucesso !!!

31 outubro, 2009 às 18:03 | Publicado em Admirável Mundo Novo, Analisando Letras de Música, Homenagens com Humor, Notícias Bizarras, Post Desabafo | 10 Comentários
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

“Apagados, Flintstones, Favela Amarela
A esperança do Bem, do Mal, Vem das Antenas de TV.”
(obtido da internet – brasileiro é um povo criativo, não?!)

Ilustres pessoas que perdem seu tempo entram aqui para prestigiar nosso querido blog! O Post de hoje não terá como objetivo o Humor, muito menos o Amor. Estamos aqui hoje para protestar!  Sobre o que?! Sobre TUDO, oras! Afinal, quem NÃO tem nada a protestar que levante o dedinho mindinho do pé! (aposto que não conseguiram! ha ha)

O protesto de hoje vai para….para….para…..isso mesmo que vc pensou! O Governo, oras pois! Afinal, acho que todos já devem estar cientes da situação que comumente passamos em praticamente todos os estados brasileiros e, especialmente essa semana, no ES, onde o excesso de chuva, 350mm para ser mais exato, jamais visto anteriormente (após o dilúvio), superando em quase 100mm, o último pior caso, em 1979, afetou mais de meio milhão de pessoas, desabrigando e até matando muita gente.

Para alguns a culpa por ser única e exclusivamente do tempo, mas a falta de importância pelo governo, principalmente o Estadual, é o principal responsável pelo alagamento das cidades, que contam com um sistema (ou mesmo a falta de um) de escoamento precário, levando os pobres cidadãos que pagam em dia seus impostos sobre impostos, a perderem TUDO. Será que as ricas moradias desses políticos também foram destruídas pela chuva?

Em homenagem a esse momento solene, vamos fazer análise da letra da música Alagados, composta por uma das melhores bandas do Brasil e do Mundo, os Paralamas do Sucesso, que, ao contrário de muitos “generais de 10 estrelas que ficam atrás da mesa com o cú na mão” (obrigado, Renato Russo), utilizam seu dom como “armas”, na tentativa de combater o maior problema do mundo, a miséria, com suas críticas em forma de cancões, que tocam nos DVD Players dos carros oficiais, as quais tenho um dia serem escutadas (e não apenas ouvidas) pelos integrantes dos mesmos.

ALAGADOS – OS PARALAMAS DO SUCESSO

Todo dia, o sol da manhã
Vem e lhes desafia

(Já diz um ditado “Não importa quão bem ou mal falem dele, o sol nunca deixa de cumprir seu papel, surgindo pelas manhãs de todos os dias e indo embora somente quando a noite lhe pede licença, para a chegada da Lua”. Antes que alguém resolva falar merda, quando está chovendo não é pq não tem sol, mas sim NÚVENS que o encobrem,  combinado?!?!)

Traz do sonho pro mundo
Quem já não o queria

(O sol entra pelas janelas do quarto sem qualquer permissão e traz de volta à dura realidade aqueles que sobrevivem em dificuldades e sonham com um mundo melhor)

Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia

(Essa é a triste realidade citada logo acima)

E a cidade, que tem braços abertos
Num cartão postal

(Aqui se faz referência ao Rio de Janeiro e ao Cristo Redentor, um dos cartões postais mais belos do mundo e uma de suas 7 maravilhas)

Com os punhos fechados na vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal

(Uma forte crítica ao suposto “abandono” por parte do governo aos que vivem na miséria, em busca da oportunidadade de uma vida melhor, não somente no Rio, mas em todo Mundo, em especial, o Brasil)

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

(A parte acima traz muitas mensagens das quais faço a seguinte interpretação:

Alagados é o nome de uma favela de Salvador, Favela da Maré, do Rio de Janeiro, e Trenchtown, da Jamaica, onde viveram músicos famosos de reggae, como Bob Marley, Bunny Wailer e Peter Tosh, que formavam inicialmente a banda The Wailers. O próprio Bob, cita a terra natal na sua mais famosa música, No Woman no Cry (“I remember when we used to sit / In the government yard in Trenchtown“).

O objetivo é fazer uma comparação entre a vida nessas três favelas e mostrar que, como diriam os cumpadres Titãs “…miséria é miséria em qualquer canto, riquezas são diferentes…”

Que a esperança de dias melhores não chega e a mídia em nada contribui para conter essa situação.

Ainda assim a população consegue sorrir e mesmo sem ter o que comer e onde morar, ser feliz, vivendo pela fé de um dia tudo mudar, sem ao menos imaginar se, quando e como isso será possível)

O mais interessante e triste, é que o clipe foi feito nos anos 80, retratandos a imagem daquela época, mas pode ser totalmente adaptado aos dias atuais. Só tenho dúvidas quanto ao futuro, afinal do jeito que o mundo está, não me arrisco em afirmar se teremos um!

Agora que a crítica foi feita e a mensagem passada, vamos quebrar um pouco o clima chato e, assim como faz o povo, colocar um pouco de humor nisso tudo aqui, afinal para esses e muitos casos, sorrir ainda continua sendo o melhor (e único) remédio.

Para isso, deixo aqui o clipe original da música Alagados dos Paralamas do Sucesso e algumas observações curiosas à respeito de momentos, digamos, interessantes do vídeo!

- As caras de moleques dos integrantes, que muita gente nem deve ter reconhecido, já que o clipe é dos anos 80.
- 00:55, nosso presidente.
- 00:57, uma mulher sorridente, mechendo na panela com uma camiseta da Zildijan, uma das melhores marcas de pratos de bateria.
- 01:09, um negão dando beijo na boca de um cara, dentro do mar e os dois sorrindo depois para a câmera (Ronaaaaldo! kkkkk)
- 01:12, o negão e o Ronaaaldo, brincando de jogar “aguinha” um no outro (q meigo! kkkkkkk). Aparece tb mais um cara, será algum Paralamas?! kkkkkk
- 01:43, ônibus rodando com um cara pendurado do lado de fora, de tão cheio.
- 01:45, o Hebert pulando e balançando a cabeça todo empolgado como se estivesse tocando axé.
- 02:04, Hebert mijando no muro e cantando ao mesmo tempo kkkkkk
- 02:12, Novamente o Negão, Ronaaaaaldo, e uma mulher parecida com a Susan Boyle.
- 02:15, Um traveco de peruca loira e hobby vermelho (aquilo não pode ser uma mulher! kkkkkkk)
- 02:22, Acho que naquela época já existia prestobarba, não?! kkkkkkkkkkkk
- 02:26, Hebert levando uma “conferida” do segurança (parece o Negão)
- 02:30, Segurança, parte 2, com direito a pulinho do João Barone, que ainda saiu rindo, mostrando que gostou. kkkkkkkk
- 03:40, Ronaaaaaaaaaaaldo agarrado no tronco.
- 04:13, Pqp, esse cara não saiu da água até agora?!
- 04:46, Ronaaaldo procurando o negão, que a essa altura do campeonato já deve ter se afogado.

Caso você tenha identificado um momento interessante não exposto acima, fique à vontade para citá-lo nos comentários. Se quiser criticar, xingar, elogiar, ou mesmo desabafar, a oportunidade é essa. Aproveite! hehehe

Sem beijundas por hoje…


About these ads

10 Comentários »

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

  1. Falando nisso…
    jah comprou seu bote pra poder trafegar por Vila Velha ?! kkkkkkkkkkkkkk
    + agora sério, bom protesto…e reinvindicação !!! Pq tha ossoooooooo… oq tem de casa caindo por ai, e gente fikando desabrigada, tah tenso !!!
    Boa analise da musica, e quanto ao clipe….E maravilhaaaaaaa, viva os anos 80 !!!
    E eu tenho uma cena pra destacar, uma que rola um pouco antes do “Hebert cantnado e mijando”, que é tipow um trenzinho da galera descendo a favela cantando e dançando !!! HIUDSHADSIUHDASIUIHDSAIUdas xD

  2. Ontem, quase que me vi obrigado a abandonar o carro no meio da rua, por causa da chuva. A situação estava braba pelas avenidas de Vitória. Senti uma vontade sincera de ajudar os outros. O problema é que eu lembrava de que também precisava de ajuda. E pensar que já perdi livro, mapa, uma pá de coisas por causa de chuva. Um carro inteiro seria demais.
    Sempre que chove assim, eu me pergunto como o brasileiro — em particular, o capixaba — insiste em dizer que o Brasil é uma terra abençoada que não tem desastre natural. Chuva então é o quê? Creio que achamos que desastre é o que aparece só em filme. Ficamos esperando terremotos, invasões alienígenas, acidentes nucleares, avalanches, ciclones, tsunamis… E simplesmente não enxergamos enchentes! Então abrimos mão de reividicar uma estrutura urbana decente, para evitar essas tragédias. “Para que isso?”, perguntaria o eleitor babaca; “chuva é benção de Deus, basta enxugar, e não é sempre que acontece”.
    A análise da letra dos Paralamas caiu bem nesse momento. Além disso, anos oitenta são sempre bem vindos (ô, saudades da infância). Falando em letra de música, conhecem aquele hinozinho da cidade de Vitória que começa assim: “Cidade Sol, com o céu sempre azul”? Só rindo! Agora, com a licença de vocês, preciso enxugar meu quarto e alguns livros. FUI.

  3. Nossa.. post brilhante! A respeito da chuva.. nossa choveu demais mesmo.. e nossa cidade realmente não tem estrutura né! Muito descaso!Muita adrenalina ontem tentando voltar pra casa.. carro morrendo, arvores caindo, luz não tinha! rs Foi até divertido! Quase morri de tanto medo! Mas correu tudo bem graças a Deus!

    Sobre o comentario acima… A chuva realmente foi bem tensa, muita gente perdeu tudo, porem acha ser muito dramatico chamar isso de desastre natural rsrs foi demais pra mim! E se realmente comparar o que aconteceu aqui com os desastres de verdade… temos que colocar as mãos pro céu e agradecer muito a Deus por nossa terra ser tão ABENÇOADA! Comparar é ridiculo! Terremoto, Tsunami… MILHARES DE PESSOAS mortas… :S sem noção!

    ” Se você não vai a Veneza, Veneza vem até você! AIaiuhiuahaihiua =*

    • Pois é — eis aí o tipo de miopia pela qual pagamos caro nesses momentos. Pessoas MORREM ÀS DEZENAS todo mês em São Paulo em MORREM ÀS MILHAS todo ano no Paraná e em Santa Catarina por causa das enchentes. E o mesmo não raro acontece ou já aconteceu no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, onde pessoas MORREM OU MORRERAM ÀS CENTENAS por causa deste desastre natural. Sem contar que provavelmente muito, mas muito mais pessoas tenham morrido por causa de chuva; mas nada disso foi registrado simplesmente porque ACREDITAMOS INGENUAMENTE que chuva não é desastre natural — então para que perder tempo contando os mortos?
      E, no entanto, continumamos a crer para ver, a agradecer pelo que não temos. Nossa fé e nosso orgulho realmente são maiores do que nossa miséria… Por falar nisso, não nos esqueçamos de que SECA TAMBÉM É DESASTRE NATURAL. E se não andam noticiando as CENTENAS de pessoas que morrem anualmente por causa deste desastre, é porque já virou cotidiano, e não rende mais furo de reportagem.
      Mesmo sendo adeísta, peço a Deus para que nos liberte desta cegueira. Como diz o ditado popular, o pior cego é aquele que não quer ver. Ou então, farei melhor: me mudarei para o Brasil. Pois se o Brasil não tem desastre natural, deve ser então outro lugar que não este. Mas vamos deixar isso para lá — este é um site de humor, não nos esqueçamos. Abraços!

  4. legal ! gostei!

  5. Gostei. Sempre trabalho com essa letra de música nas minhas aulas de português. Nem todos os alunos conseguem perceber todas as mensagens implícitas a princípio, mas quando vamos orientando, eles conseguem compreender e traçar esse paralelo entre as realidade das diferentes comunidades. Também gosto de levar junto com Alagados, a tradução de Trench Town, do Bob marley, principalmente pela parte em que ele diz “Todos viemos de Trench Town”, ou seja todos vivemos a mesma realidade.

  6. E a musica e fazendo uma critica

  7. Olá! Gostei muito do site de vocês. Até o citei nas referências de um trabalho acadêmico. Pena que não encontrei o nome de vocês.
    Abraços
    Ana

  8. 1:56 do clipe, Hebert pula e com os dois pés (uma semivoadora) derruba o Prato do baterista…

  9. I’ve just graduated propecia cheap online education to practicing pharmacists in the form of regional continuing education. Dionne L. Knapp, PharmD, BCPS, CPP, Director of Pharmacy Education


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com. | O tema Pool.
Entries e comentários feeds.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: